Todos os horários
A&EXTRAS

Cientista entra no museu em chamas e recupera peças raras

Horas depois da tragédia que se abateu sobre o Museu Nacional, no Rio, funcionários, professores e técnicos entraram nas salas em chamas para tentar recuperar tudo o que pudessem antes que o fogo consumisse completamente o local. 

Entre eles estava o professor Paulo Buckup. Ele arrombou portas e salvou espécimes de moluscos que faziam parte do gigantesco inventário de animais sul-americanos que existia no museu.

Os exemplares que Buckup salvou fazem parte de um material único, que remonta às descrições originais da fauna das américas. 

“Alguns milhares” de exemplares foram resgatados do fogo mas, segundo Buckup, o número é muito pequeno diante da coleção que existia no museu. Ele conta que toda a coleção de insetos e crustáceos se perdeu no incêndio. 

Entre as riquezas que pereceram, múmias andinas, registros de idiomas extintos, mobiliário da época do império e animais fossilizados sem similares no mundo.

O Museu Nacional foi fundado em 1818, por Dom Joao VI. Em junho desse ano, completou dois séculos de existência. O incêndio tomou conta do prédio na noite de domingo, dia 2, e só foi controlado pelos bombeiros seis horas depois. 

 


Fonte/Imagem: BBC