Todos os horários
A&EXTRAS

Missionário que tentou converter nativos isolados ao cristianismo é morto a flechadas

Um americano de 27 ano foi morto por membros de uma tribo indígena que vive em total isolamento na ilha Sentinel, no arquipélago de Andaman e Nicobar, na Baía de Bengala, Índia.

O corpo do homem, que foi visto de longe por pescadores, mostrava sinais de flechadas. Allen Chau era um missionário do estado do Alabama e tinha por meta converter os nativos ao cristianismo. 

Por lei, os nativos que vivem nessas ilhas não podem ser perturbados, até pelo risco de contágio e transmissão de doenças desconhecidas. 

Hoje, estima-se que essas tribos, que vivem em completo isolamento da civilização, contabilizam entre 50 e 150 membros. 

O americano entrou no local ilegalmente. Os barqueiros que o levaram até lá foram presos. A polícia descobriu que o missionário chegou a fazer quatro ou cinco viagens às ilhas anteriormente. 

A política de proteção a esses povos é bastante rígida na Índia. Mesmo tirar fotos ou fazer vídeos pode render até três anos de prisão. 

Pescadores que estavam nas proximidades viram de longe o momento do assassinato. “Ele foi atacado por flechas e continuou a andar. Os nativos amarraram uma corda em torno do seu pescoço e arrastaram seu corpo – eles pareciam assustados”, explicaram alguns deles à imprensa indiana.

Essa não é a primeira vez que homens são mortos pelas tribos. Em 2006, dois pescadores que trabalhavam ilegalmente nas redondezas das ilhas foram abatidos imediatamente. Os sentinelenses estão entre as tribos mais perigosas do mundo. Acredita-se que eles habitem aquela região há mais de 60 mil anos. 


Três irmãs que escaparam de um culto polígamo contam sua experiências. FILHAS DA POLIGAMIA - Quinta, 16h


Fonte: BBC  | Imagem: Indian Coastguard/Survival International / Christian Caron - Creative Commons A-NC-SA