Todos os horários
DIREITO

Preso injustamente, jovem se torna advogado para ajudar outros inocentes

A injustiça à qual foi submetido aos 17 anos de idade mudou completamente a vida do jovem Jarrett Adams. 

 

Acusado de participar de um estupro em 1998, foi condenado a 28 anos em regime fechado em um presídio de segurança máxima no Wisconsin, EUA. Negro e pobre, Adams não conseguiu bancar um advogado de defesa na época - o profissional designado pelo estado para defendê-lo “sequer entrou em contato com as testemunhas”, afirma. 

 

Adams, no entanto, não aceitou seu destino. Incentivado por seu colega de cela, resolveu correr atrás da liberdade. Na biblioteca da cadeia, dedicou-se ao estudo do Direito e buscou formas de recorrer da sua sentença. 

 

A ajuda maior veio de um programa de apoio a inocentes dos Estados Unidos, o Innocence Project. Só assim Adams conseguiu, com muita dificuldade, provar sua inocência e ser absorvido do crime ao qual foi injustamente condenado. Quando finalmente encontrou a liberdade, quase dez anos haviam se passado.

 

“Isso deve servir de inspiração para todos aqueles que têm obstáculos a superar”, diz. 

 

Assim que saiu da cadeia, Adams deu continuidade aos estudos. Ingressou no curso de Direito da Loyola Law School, em Chicago, e em 2016 recebeu o diploma. Agora ele atua na mesma corte que aceitou seu pedido de inocência e também advoga no Innocence Project, que foi fundamental para sua saída da prisão. 

 

“Eu não apenas consegui provar minha inocência como agora quero advogar em defesa daqueles que estão na mesma situação em que eu estive”, disse em entrevista à MSNBC.

 

 

 


Fonte: MSNBC
Imagem: Jarrett Adams